Comprovando sua renda como autônomo ou profissional liberal

Fonte: Jornal Contábil
Segunda-feira, 19 de Março de 2018
o fato de não trabalharem sob o regime das leis trabalhistas não significa não podem comprovar seus ganhos a bancos e empresas de crédito.

Muitos autônomos e profissionais liberais não sabem, mas o fato de não trabalharem sob o regime das leis trabalhistas não significa não podem comprovar seus ganhos a bancos e empresas de crédito.

Comprovar sua renda é quase sempre necessário ao fazer um empréstimo ou o financiamento para a compra de um carro ou casa própria. Continue lendo para saber mais detalhes sobre como comprovar sua renda sendo autônomo ou profissional liberal.

 

O tradicional holerite pode ser substituído pela Declaração de Imposto de Renda ou a Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos – DECORE

DECORE

Mais conhecida como DECORE, a Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos é um documento especialmente dirigido à comprovação de renda de autônomos e profissionais liberais. Empresários ou micro-empresários também podem usar a DECORE para comprovar renda através do pró-labore. Para obter a sua, você precisará contratar um profissional de contabilidade devidamente habilitado pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC) de seu estado, pois apenas um contador pode pedir a emissão do documento.

O CRC também é responsável pela emissão do selo Declaração de Habilitação Profissional (DHP). Este selo é o que dará validade a sua DECORE.

Esta garantia dá maior segurança para as instituições financeiras pois apenas os profissionais devidamente habilitados terão o selo. A regra também se aplica ao solicitante uma vez que a validade do documento emitido poderá ser verificado via código de controle emitido junto ao mesmo no site do CRC do seu estado.

DIRPF

A declaração de renda é obrigatória, independente da origem dos rendimentos, ou seja, tanto trabalhadores formais com carteira assinada quanto trabalhadores informais que atuam como autônomos têm obrigação de informar os seus rendimentos ao fisco.

Além de terem um comprovante de renda, profissionais autônomos que emitem recibo podem deduzir uma série de despesas essenciais para o seu exercício profissional. É o caso de profissionais liberais, como médicos, psicólogos, advogados e dentistas, ou ainda consultores e profissionais freelancer que não têm empresa aberta. Sendo assim, é possível reduzir o valor do tributo a pagar ou aumentar o valor da restituição.

Para preencher sua declaração corretamente, é preciso informar o CPF dos clientes para os quais você prestou serviços. Cada um dos clientes que efetuaram os pagamentos devem ser informados individualmente, com a indicação do número do documento. Se você for um médico e atender crianças, você deve preencher a declaração com o CPF de um dos responsáveis pela criança. Sem esta informação, a declaração de Imposto de Renda não pode ser transmitida.

COMPROVAR RENDA COM OBEJTIVOS

Se você for um profissional autônomo e recebe rendimentos por serviços prestados a uma pessoa jurídica, para preencher sua declaração de imposto de renda, o contribuinte deverá requerer um informe de rendimentos de cada empresa para qual prestou serviços. De posse dessas informações, deve inserir os rendimentos, o nome e o CNPJ da empresa, o IR retido na fonte e o INSS recolhido na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica.

Se o seu objetivo com o comprovante de renda é conseguir um financiamento, ter uma renda formal conta muitos pontos com os bancos e um dos caminhos mais fáceis e baratos é abrir uma empresa como Microempreendedor Individual (MEI). Além disso, o MEI tem benefícios como aposentadoria e auxílio doença. Abrir uma MEI é bem fácil e, se você tiver tempo, dá para fazer sozinho. Se não, basta contratar um despachante. Outra saída para formalizar o seu trabalho é por meio do Simples Nacional.  Se a sua empresa faturar até R$3,6 milhões por ano, você tem direito a este regime de tributação.

Alguns de Nossos Clientes